quinta-feira, 15 de agosto de 2019

A energia boa das plantas

Plantas trazem uma energia muito boa para dentro da sua casa. Você sente a boa vibração em cada vida presente na forma de plantas. Sente-se uma paz intensa e uma atmosfera de muita harmonia na peça da sua casa onde as plantas estão presentes.
Pesquisando, descobri que o verde das plantas tem um efeito calmante, suavizante e refrescante em todo o organismo.
Essas plantinhas que enfeitam a prateleira foram colocadas no lixo e eu as recolhi. A espada de são jorge está em um vidro com água. O mesmo com a outra plantinha que não sei o nome, mas ela dá uma folhagem bem robusta e resistente. E o funcho, além de perfumar a sala, está abastecendo os meus chazinhos calmantes (os bulbos estão em água para posteriormente serem plantados).


sábado, 22 de junho de 2019

Detergente caseiro, econômico e sustentável

Esta é uma receita que publiquei logo no início do blog. É uma receita simples e fácil de fazer e que tem um bom rendimento.
Ingredientes
– Dois pedaços de sabão de coco
– Dois limões
– Quatro colheres de sopa de amoníaco
Modo de preparo
– Derreta o sabão, picado em um litro de água fervendo. Coloque mais cinco litros de água fria, o suco dos limões e depois o amoníaco. Dissolva bem e guarde em garrafas e embalagens de detergente líquido.
As proporções da receita fornecem seis litros de detergente caseiro.
Quanto ao amoníaco, trata-se de um composto químico que pode ser encontrado em farmácias. Ele é biodegradável e menos agressivo ao meio ambiente, pois se decompõe com mais facilidade do que os compostos de detergentes industrializados. Ao manipular esta substância, cuidado com os olhos e de preferência use luvas.

sexta-feira, 14 de junho de 2019

O maravilhoso suco verde

Comecei a tomar o suco verde o ano passado. O suco verde que faço fica gostoso,levemente docinho e não vai água. A água do suco é fornecida pelos vegetais e frutas que coloco para bater no liquidificador.
Não existe uma receita certa e eu uso as folhas verdes e os vegetais que eu tenho à mão.
Como adoçante do suco uso sempre maçã, que pode ser duas ou três,conforme o gosto.
Vegetais eu uso pepino, chuchu, abóbora, abobrinha, etc.
Raízes pode ser cenoura ou beterraba.
As folhas verdes pode ser a couve, as folhas de brócolis (ocupo os talos também). Também costumo usar as plantas comestíveis não convencionais, como as diversas folhas consideradas como "mato" que estão no nosso jardim esperando ser valorizadas, colhidas e aproveitadas para ajudar na nossa saúde. Dessas eu costumo usar a bertalha coração, a ora pro nobis, a trapoeraba, a folha do chuchu, a folha da abóbora, a folha da batata doce, entre outras. Se você tiver plantadas em casa melhor ainda, porque saberá a procedência.
Você pode colocar um pedacinho de gengibre para temperar e o suco de um limão depois de coar.
Primeiro batemos no liquidificador os vegetais que produzem água, como o pepino, o chuchu, a abobrinha. O pepino produz muita água. O chuchu eu tenho em abundância aqui em casa.
Você bate os vegetais com as maçãs e o gengibre e dá a primeira coada porque fica um suco muito espesso, difícil de ser digerido pelo excesso de fibras. Eu bato no pulsar do liquidificador. Depois de dar a primeira coada retorno o liquido ao liquidificador e coloco as folhas verde que escolhi. Bato novamente. Se você tiver sementes germinadas coloca junto. Dá a segunda coada em um coador ou saco feito de voal, que é o melhor. Depois dessa segunda coada eu coloco o limão, um fiozinho de azeite para o organismo assimilar melhor e tomo, geralmente dois copos, que me deixa nutrida a manhã inteira.
Se você quiser tomar depois o café da manhã espere meia hora para o organismo assimilar o suco.
Na foto o meu suco de todas as manhãs, com a pagua estruturada dos próprios vegetais.

quarta-feira, 15 de maio de 2019

Veja as coisas como elas são

Do livro A Arte de Viver
Epicteto (com interpretação de Sharon Lebell)

As circunstâncias não ocorrem para atender às nossas expectativas. Os fatos acontecem como têm de acontecer. As pessoas comportam-se de acordo com o que são. Acolha as coisas que de fato conseguir.

Abra os olhos: veja as coisas como elas são e preserve-se assim da dor causada pelos falsos apegos e os estragos evitáveis.

Pense no que lhe dá prazer: os instrumentos, sejam quais forem, de que você depende, as pessoas que lhe são caras. Mas lembre-se de que cada uma delas tem caráter próprio, separado, independente da maneira como as vemos.

Como exercício, pense nas menores coisas às quais você está ligado. Por exemplo, vamos supor que você tenha uma xícara favorita. É, afinal de contas, apenas uma xícara e, caso ela se quebre, você pode lidar com o fato. Em seguida, passe para coisas mais importantes – ou pessoas – às quais você se sente mais apegado.

Lembre-se sempre, por exemplo, quando abraçar seu filho, seu marido ou sua mulher, de que está abraçando um ser mortal. Assim, se um deles morrer, você será capaz de suportar a dor da perda com maior serenidade.

Quando algo acontece, a única coisa que está em seu poder é sua atitude com relação ao fato. Suas alternativas são a aceitação ou o ressentimento.

O que realmente nos assusta e desanima não são os acontecimentos externos em si, mas a maneira como pensamos a respeito deles. Não são as coisas que nos perturbam, mas a forma como interpretamos seu significado.

Pare de se atemorizar com noções irrefletidas, reações impulsivas e com suas impressões sobre como as coisas são!

As pessoas e as coisas não são como desejamos que sejam nem o que parecem ser. São aquilo que são.

Imagem: Pixabay

domingo, 5 de maio de 2019

Comprar apenas o que necessitas

Não comprar produtos sem necessidade é uma das dez atitudes muito importantes para contribuir com o meio ambiente, tornar a nossa vida mais leve e evitar gastos desnecessários cujo dinheiro pode ser empregado em alguma coisa que realmente necessitamos.
Embora tenha esse cuidado, já aconteceu de comprar algo em promoção e depois ver que não tinha sentido ter comprado uma roupa, que mesmo que tenha agradado não ficou tão bem em mim. E isso é apenas um dos exemplos.
Promoção é tentação, já comprei uma máquina de cortar grama à gasolina, que guardei e quando fui usar já tinha passado o tempo da garantia e ela não funcionava. Não havia a menor necessidade de ter comprado aquela máquina. Tem um rapaz que vem aqui em casa cortar a grama.
E assim poderia enumerar tantas vezes que comprei algo que acabei não usando ou usando pouco. Para não ficar com a sensação de ter desperdiçado o dinheiro escolho uma opção ambientalmente correta e que também faz bem ao coração, que é a de doar esse item para quem realmente necessita.
Uma outra forma de evitar compras desnecessária é reutilizar tudo o que for possível. Eu gosto de restaurar móveis velhos, principalmente os feitos de madeira maciça, que são muito fortes. Vale muito à pena! Aqui no blog tenho posts de vários móveis que restaurei e reutilizei. Abaixo o link de alguns deles. Espero que gostem das ideias! Um abraço!!!
https://ambientedeluz.blogspot.com/2019/05/cadeiras-velhas-e-rusticas-restauradas.html
https://ambientedeluz.blogspot.com/2017/01/o-roupeiro-velho-ganha-cara-nova.html
https://ambientedeluz.blogspot.com/2017/01/uma-nova-chance-para-uma-cadeira-velha.html
https://ambientedeluz.blogspot.com/2017/01/uma-nova-mesinha-lateral-de-duas-pecas.html
https://ambientedeluz.blogspot.com/2017/01/a-transformacao-de-um-banquinho-que-ia.html
http://ambientedeluz.blogspot.com/2012/01/meu-banquinho-de-retalhos.html

sábado, 4 de maio de 2019

Cadeiras velhas e rústicas restauradas


Esse é o meu cantinho de trabalho e estudo. É um lugar muito aconchegante e feliz. É aqui que reabasteço as minhas energias nessa casa abençoada construída pelas mãos do meu falecido pai. Aqui tem amor. E como parte desse amor tem o agradecimento pela vida, por estar aqui nesse momento escrevendo, pela minha família, pelo meu trabalho, pelos meus bichinhos, pelo planeta Terra. Então, restaurar, recuperar, reutilizar faz parte da minha vida quando ainda nem se falava em proteção ao meio ambiente. E aqui venho mostrar para vocês umas cadeiras velhas e rústicas que estavam no pátio tomando chuva e sol e que agora voltaram para dentro de casas. Eu adoro esse tipo de cadeira porque elas são maciças e fortes.
É nesse cantinho abençoado que ouço música suave, que acendo o fogo (mesmo que não esteja frio) quando acordo todos os dias às 4h30min.. É daqui que contemplo as estrelas quando acordo e é daqui que agradeço todos os dias por estar viva.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...