quarta-feira, 1 de abril de 2009

Casa feita de papel reciclado


Autor da Obra: Portal Ecodesenvolvimento
Uma alternativa de moradia para os sem tetos e desabrigados pode ser uma casa feita de papel reciclado e é a prova de água. Desenvolvida por uma empresa suiça, ela é resistente, barata e fácil de montar. A casa é feita com uma mistura de resina e celulose, que vem de papel reciclado de jornais e papelão. Ela pode ter dois quartos, cozinha e varanda. Uma ala com banheiro pode ser vendida separadamente.
A casa foi desenvolvida pelos arquitetos da Universidade de Bauhaus e utiliza a mesma tecnologia da construção de aviões, onde o peso e a resistência são fatores fundamentais.
Para mais informações sobre Sustentabilidade: http://www.ecodesenvolvimento.org.br/

16 comentários:

Alexandre Brendim disse...

Show de bola...pode ser a solução de moradia de países como o nosso..

Junior Silva disse...

Interessante a casa. Pode ser um começo para combater o déficit de moradia, e ao mesmo tempo, contribuir para o meio ambiente.

Beijo.

Sissym disse...

Uma gracinha. Mas não deve durar muito, mesmo sendo feita de forma especial.

Saudades de vc... Bjs

manzas disse...

O sol rasga os panos do horizonte
Em pacífico brilho de sua magnitude…
Cadenciado ondular que em mar bronze,
Excelsa beleza no marulhar da virtude!

A rocha na ânsia do dia, bebe sedenta do mar,
Firmada num profundo e desigual chão azul …
Cristalizadas águas reflectem o planar,
Das majestosas e imperais… gaivotas do sul!

Gostava que comigo
Desse asas á sua imaginação,
No… “Portal da rocha… penedo do guincho!”

Um bom fim-de-semana,
Com muita inspiração
E na mente… um sorriso!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Regina Bolico disse...

Oi Alex!
Achei bem interessante quando li. Pode ser uma solução para o problema de moradia para quem não tem absolutamente nada, como é o caso de muitos países pobres.
Uma braço

Regina Bolico disse...

Oi Júnior!
A casa é interessante mesmo,acho que os criadores pensaram nisso quando a inventaram, a necessidade urgente de moradia para milhões de pessoas muito pobres e também contribuir para diminuir o lixo. Obrigada pelo comentário.
Um abraço.

Regina Bolico disse...

Oi Sissy!
O texto não traz a durabilidade, mas para as situações de emergênciaparece ser uma boa opção. Saudades de você também.
Beijo.

Regina Bolico disse...

Oi Moisés!
Adorei o poema, foi uma belíssima surpresa. Obrigada pela participação.
Um abraço.

O CLARO disse...

Olá Regina, tudo bem?

Ótimo o seu blogue tanto em conteúdo como no visual.

Esta casa de papel reciclado, tubulações de esgot sanitário feitos com pneus velhos e usados, poltronas feitas com garrafas pet...

O ser humano estraga mas também empreende soluções.

Saudações fraternas,
Fernando, O Claro

Jorge Fortunato disse...

Não sei se seria uma solução para a vida toda, mas numa emergência até que não é má idéia.

O CLARO disse...

Caro Fortunato, tudo bem?

Para que não paire dubiedade de entendimento...
Não estou homologando os crimes ambientais e não creio em verdades eternas não, hein rsrs
AbraçOCLARO

Regina Bolico disse...

Oi Fernando!
Realmente, o ser humano estraga mas também consegue usar a criatividade em favor do meio ambiente.
Um abraço.

Regina Bolico disse...

Oi Fortunato!
O projeto quando foi feito deve ter sido pensando nas emergências, como catástrofes naturais. No entanto, para quem não tem um teto, parece ser uma casa excelente.
Um abraço

Antonio Regly disse...

Regina,
Seus projetos e dicas são excelentes, num momento em que precisamos mesmo realizar algumas mudanças.
Usar cada vez os produtos naturais passou a ser uma questão de sobrevivência e de saúde, e não apenas econômica. Há muito não uso qualquer tipo de molho de tomate pronto. Ainda assim não é 100% natural por causa dos agrotóxicos, mas elimino os conservantes. Bem mais saboroso e saudável.
Reconheço e aprovo também os materiais para construção de casas para situações emergenciais e para quem não tem moradia própria apenas por uma questão: se esperar que o Governo use adequadamente as verbas e construa casas, o povo tem que morar debaixo da ponte.
Penso mesmo é que se faça e se cobre deles uma política social (não estou falando desses projetos esmoleiros que estão aí), com empreendimentos imobiliários voltado para quem precisa. O que vemos pelo Brasil afora é que os maiores beneficiados pelo Governo são os seus parentes, apadrinhados políticos e cabos eleitorais.
Mesmo a boa intenção por detrás destas alternativas, o que se vê é que para o pobre tem que ser alternativo, ser a cobaia no uso dentre outros.
Quando estava na faculdade, elaborou-se um projeto a partir da casca da banana: doce de casca de banana, pão de farinha da banana etc., a serem oferecidos na merenda escolar. Pergunto: por que não servir o mesmo doce nos almoços do Presidente, dos Senadores e na Câmara dos Deputados?
As casas feitas a partir do papel reclicado seria uma alternativa viável se o Governo loteasse e urbanizasse áreas para estas construções. Estas mesmas casas no morro, encostas, favelas, beira de rio, não atenderiam as necessidades prementes, mesmo em situações emergenciais.
Amiga, deixo claro que nada tenho contra a estas propostas. Apenas penso que precisamos nos mobilizar e cobrar mais de quem é pago com os nossos impostos e gerir em prol de todos e não de uma minoria. Ao mesmo tempo em que não tenhamos de fazer malabarismos para resolver os problemas que aí estão.
Sucesso nos projetos.
Abraço,
Regly

Regina Bolico disse...

Oi Antônio!
As mudanças devem começar devagar porque são velhos hábitos que estaremos deixando, é uma questão cultural. Falando em mudanças, adoraria passar a fazer um bom molho de tomate, ao invés de comprar a caixinha com ele pronto. Manda a receita prá nós!!!
Quanto ao teu desabafo, infelizmente não vivemos num mundo ideal, sempre haverá as diferenças. Mas quando postei sobre a casa feita de papel, foi mais pelo aproveitamento do material mesmo, é claro que todas as pessoas desse país deveriam ter condições dignas, não só de moradia como de trabalho também.
Um abraço.

Victor S. Gomez disse...

Fiz durante um bom tempo fantoches de papier maché, que tem um pouco haver com reciclagem, usava caixa de sapatos, papelão, jornal, etc. Ganhei um bom dinheiro com isso. bj

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...