"Quando se fala na sustentabilidade do planeta Terra, as pequenas mas significativas ações cotidianas de cada um, valem muito mais do que longos e evasivos discursos impregnados de proposituras que raramente são transformadas em realidade". (Prof. Zenobio Eloy Fardin)

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Recuperação da terra devastada


Os desmatamentos da Amazônia para a abertura de estradas, exploração agropecuária, grilagem de terras e mineração têm provocado o desaparecimento de grandes extensões de floresta. Como conseqüência da degradação, há perda irreversível de parte da biodiversidade, principalmente em relação à fauna. Segundo reportagem da Revista Scientífica American Brasil, esse cenário tem gerado preocupação quanto à permanência dos estoques de palmeiras, vulneráveis ao fogo e ao desmatamento. Em compensação, tem aparecido grandes populações de espécies de palmeiras resistentes às queimadas. É o caso de enormes babaçus que se desenvolveram no sul do Pará e região centro-sul do Amazonas.
Existem algumas características naturais que fazem da palmeira do babaçu uma planta privilegiada em relação às demais: mecanismo de sobrevivência a queimadas, dispersão de frutos por animais, tolerância a carência de água e solos compactados, entre outras características.

Fonte: Revista Scientific American Brasil – Amazônia, vol 2
Imagem: Galeria de leoffreitas

2 comentários:

Rodrigo Piva disse...

É interessante esta imagem. Lembra uma pegada. Ilustra bem o que estamos fazendo: pisando no nosso pulmão natural.

Beijo

Regina Bolico disse...

Interessante mesmo Rodrigo... Tirei essa uma do blog do nosso amigo KmMad, justamente porque achei diferente.
Um abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...