"Quando se fala na sustentabilidade do planeta Terra, as pequenas mas significativas ações cotidianas de cada um, valem muito mais do que longos e evasivos discursos impregnados de proposituras que raramente são transformadas em realidade". (Prof. Zenobio Eloy Fardin)

domingo, 24 de agosto de 2008

A gigantesca ferida aberta no solo

A ação degradante do homem no solo provocou uma gigantesca voçoroca ,uma das mais desastrosas consequências do rompimento dos elos naturais, causando o enfraquecimento biológico do solo e, posteriormente, a inevitável desagregação física. As voçorocas são feridas da terra e podem engolir grandes extensões do solo, como é o caso da gigantesca e profunda voçoroca da vizinha cidade de Fortaleza dos Valos.
Na aula do dia 8 e 9 de agosto, do curso de Educação ambiental, o tema tratado foi solos e a Revolução Verde. Nela foi abordado o uso de agrotóxicos e maquinário agrícola não adaptado às condições do solo tropical. O fato do solo brasileiro ser revirado à maneira como os solos europeus congelados acabou acarretando danos irreversíveis como os grandes buracos causados pela ação do homem e pela força da chuva.
Sábado, dia 23/08, como parte da aula de Gerenciamento dos Recursos Naturais, da professora Ana Lucia Ribeiro, visitamos a enorme voçoroca, linda se não fosse ocasionada pelo maltrato do ser humano ao seu pedaço de chão, ferida aberta que provavelmente nunca será curada.

Fontes: Aula de Gerenciamento dos Recursos Naturais, da prof. drª Ana Lucia de Paula Ribeiro, do curso de Pós-Graduação em Educação Ambiental e Gestão de Recursos Naturais.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

Para onde vão os resíduos da construção civil?

Entulho é o conjunto de fragmentos ou restos de tijolo, concreto, argamassa, aço, madeira, etc., provenientes do desperdício na construção, reforma e/ou demolição de estruturas, como prédios, residências e pontes.
O entulho de construção compõe-se, portanto, de restos e fragmentos de materiais, enquanto o de demolição é formado apenas por fragmentos, tendo por isso maior potencial qualitativo, comparativamente ao entulho de construção.
O processo de reciclagem do entulho, para a obtenção de agregados, basicamente envolve a seleção dos materiais recicláveis do entulho e a trituração em equipamentos apropriados.
Os resíduos encontrados predominantemente no entulho, que são recicláveis para a produção de agregados, pertencem a dois grupos:
Grupo I - materiais compostos de cimento, cal, areia e brita: concretos, argamassa, blocos de concreto.
Grupo II - materiais cerâmicos: telhas, manilhas, tijolos, azulejos.
Grupo III - materiais não-recicláveis: solo, gesso, metal, madeira, papel, plástico, matéria orgânica, vidro e isopor. Desses materiais, alguns são passíveis de serem selecionados e encaminhados para outros usos. Assim, embalagens de papel e papelão, madeira e mesmo vidro e metal podem ser recolhidos para reutilização ou reciclagem.
Construir faz parte do desenvolvimento econômico de qualquer lugar. A construção gera empregos e todos nós precisamos morar em algum lugar. Algumas residências são muito simples, outras são mais sofisticadas e outras ainda são pontes e viadutos que servem de abrigo para quem não tem onde morar. Mas, em se tratando da indústria da construção civil, para onde vão os resíduos sólidos?
Na maioria das vezes, o entulho é retirado da obra e disposto clandestinamente em locais como terrenos baldios, margens de rios e de ruas das periferias. O custo social e ambiental disto foge aos controle dos cálculos, apesar de suas conseqüências serem permanentemente notáveis. Percebe-se a degradação da qualidade de vida urbana em aspectos como transportes, enchentes, poluição visual, proliferação de vetores de doenças, entre outros. De um jeito ou de outro, toda a sociedade sofre com a deposição irregular de entulho.
Vi num programa de televisão tijolos artesanais feitos com o resíduo da construção civil, que servem para levantar casas para a população mais carente. Também li sobre uma empresa que tem uma máquina recicladora que aproveita na própria obra os resíduos. Mas esse são casos esporádicos. A maior parte do que sobra na obra é despejada na beira de estradas ou em terrenos baldios.
O ideal é que haja menor desperdício de material, de modo que sobre o menor quantidade de resíduos, e o que sobrar que possa ser aproveitado na obra mesmo, como fazem algumas poucas empresas de construção civil.

Fonte: Compam, Ache tudo e região
Imagem: Milton Jung

sábado, 2 de agosto de 2008

Fralda descartável

Há dezoito anos atrás, quando os meus filhos nasceram, fralda boa para o dia a dia era a de pano. Fralda descartável só para ir ao médico, elas eram muito caras.
Sem querer descubro que fiz a coisa certa, mas hoje dificilmente alguém abrirá mão do conforto que a fralda descartável proporciona. Só que fralda descartável comum leva em torno de 450 anos para se degradar! É muito tempo!
Já existe a fralda descartável biodegradável e ela dura apenas um ano. O custo em dinheiro ainda não sei, mas o retorno ambiental parece ser bem interessante.
Acredito que teremos que reformular alguns conceitos do que é conforto em nome da saúde do meio ambiente. Afinal de contas, eu quero deixar um planeta habitável para os meus netos que um dia virão.
Fralda biodegradável
Tempo de decomposição dos resíduos

- Vidro: indeterminado
- Pneus: 600 anos
- Fralda descartável comum: 450 anos
- Tampas de garrafa: 150 anos
- Plástico: 100 anos
- Embalagens longa vida: até 100 anos
- Copos de plástico: 50 anos

Fonte:Ciência e Saúde
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...