"Quando se fala na sustentabilidade do planeta Terra, as pequenas mas significativas ações cotidianas de cada um, valem muito mais do que longos e evasivos discursos impregnados de proposituras que raramente são transformadas em realidade". (Prof. Zenobio Eloy Fardin)

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Garrafas PET, tecido da moda e tijolos duráveis

Se sacola plástica demora até cem anos para se decompor, as garrafas do tipo PET podem chegar a quatro séculos contaminando a natureza. Assim, merece aplausos toda iniciativa que se destine a estimular a coleta e aproveitamento desse material, via reciclagem.
Pouca gente sabe que é possível fazer tecidos usando garrafas de polietileno tereftalato – resina termoplástica que compõe o PET. Uma grande empresa têxtil com sede em São Paulo tem uma linha voltada para roupas profissionais. Nela, utiliza tecidos de composição mista, no qual inclui-se a fibra reciclada, comprada já pronta. Apesar de seu caráter surpreendente, a roupa em cujo tecido há garrafas PET nada perde em termos de conforto, caimento, beleza e durabilidade. A fábrica recicla 18 mil toneladas de garrafas PET por ano, para reaproveitá-la em forma de fibra.
Uma outra forma de reaproveitamento das garrafas plásticas foi desenvolvida em Belém, no Pará. Neílton da Silva Tapajós, um jovem pesquisador do laboratório de Engenharia Química do Centro Tecnológico da Universidade Federal (UFPA), descobriu que as garrafas PET podem ser utilizadas na fabricação de tijolos para a construção civil.   
O tijolo criado por Neílton foi apresentado como tese de graduação em Engenharia Química e se originou da combinação individual do pet com gesso, cimento, resina cristal e caroço moído de açaí. O melhor resultado para uso na construção civil foi alcançado na combinação com o cimento.

Não se trata exatamente de reciclagem e sim de reaproveitamento, pois a garrafa não passa por nenhum processo termoplástico de despolimerização para retirada da resina básica do pet. Neílton trabalhou com a garrafa em estado natural, preferindo as de 600 ml por serem mais compactas e resistentes. Ele montou um monobloco plástico utilizando três garrafas quue foram envolvidas por uma camada de um centímetro e meio de cimento, dentro de uma forma de madeira. Doze horas depois, o cimento estava curado, revelando um tijolo de paredes lisas, com saliências nas laterais para encaixe de outros tijolos.

O tijolo pode ser empregado na construção de paredes de casas. Não pode, porém, ser empregado como bloco estrutural, ou seja, como um pilar capaz de suportar o peso de um telhado.

Fonte: Revista Ecologia & Desenvolvimento, ano 14, nº 112.
Imagem: Máquinas para reciclagem do pet e plásticos


10 comentários:

Eliete disse...

Eu não sabia dessas utilidades da garrafa pet.Podem ser fabricadas vassouras também.Na empresa em que trabalho, uma siderúrgica, há um uso muito grande de vassouras de garrafas pet.

Regina Bolico disse...

Oi Eliete!
Obrigada pela visita.
As garrafas reaproveitadas já retiram do ambiente uma quantidade enorme delas.Vassouras eu já conhecia também.
Um abraço.

Lucas Fernandes disse...

Já conhecia a utilidade das garrafas PET para a construção civil. E o resultado é sem dúvida alguma, fantástico.

Só não havia pensado na empregabilidade das PET na indústria da moda. Realmente faz todo sentido.

Continue divulgando ações como esta para que possamos cada vez mais, desenvolver uma consciência ambiental.
___________________________________
http://semfronteirasnaweb.blogspot.com

Regina Bolico disse...

Obrigada, Lucas, pelo incentivo. Achei muito interessante o uso de PET para a construção civil e na indústria da moda. A criatividade humana vai longe quando é necessário. Nesse caso, é vital a retirada de garrafas do ambiente.

Karla Nogueira disse...

Olá Regina,
é muito bom ver quando o homem usa a sua imensa criatividade para melhorar a vida de todos e do planeta. Parabéns pelo trabalho de conscientização que realiza através do blog!!!
Abraços

Regina Bolico disse...

Oi Karla!
Obrigada pelas palavras de incentivo. É isso que impulsiona a gente a seguir em frente.
Um abraço.

Osc@r Luiz disse...

Amiga querida,
Excelente a sua abordagem.
Já há algum tempo, fizemos um projeto nas escolas públicas que trocava latinhas de alumínio por uniformes esportivos feitos de garrafas PET recicláveis.
Esse é mesmo o caminho.
Parabéns pelo seu post, mais uma vez!
Um beijo!

Regina Bolico disse...

Oi Oscar!
Valorizo muito o teu selo verde, que tem lugar de destaque no Ambiente de Luz.
Que interessante esse projeto de uniformes esportivos feito de garrafas Pet. A gente tem que incentivar e divulgar iniciativas a favor do meio ambiente como essa.
Um beijo.

Anônimo disse...

Boa Tarde,

Trabalho em uma empresa de Brindes e procuro tecido pet para fazer bolsa.
Vocês sabem onde posso comprar?

Aguardo o retorno,
Obrigada,
Monise
2918-6218

Aaron disse...

Ola pessoal, eu tambem sou a favor de utilizações desses tipos, reciclagem no geral, e alem das vassouras que ja havia visto, (me desculpem se nao pode, é que nao sei mesmo se pode, mas...^^) mas tem um site...e vi tb na TV umas sacolas, pastas de PET...o site é...www.amodaempet.kit.net....tem umas coisas fora de série...
mais uma vez perdão se não for permitido a menção de outros sites...mas achei legal a iniciativa de ambos os sites...este e o acima citado.
abrigado

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...